terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Eles acreditam que todos os meios como a corrupção, mentira, etc... justificam os fins...

Eles acreditam que todos os meios como a corrupção, mentira, etc... justificam os fins...

Evangélicos conservadores na mira do PT. (Sem dúvida, nenhum cristão verdadeiro, espiritual e piedoso deve ter envolvimento com o PT e os Esquerdistas. Eles são profundamente sodomitas, pederastas e acreditam que todos os meios como a corrupção, a mentira, etc...justificam os fins. O PT é uma ameaça a verdadeira ética e moral. Usam o dinheiro público para patrocinar tudo aquilo que é contrário aos princípios bíblicos e cristãos da vida e da família - Prof. Luis Cavalcante).

http://luis-cavalcante.blogspot.com/2012/01/evangelicos-conservadores-na-mira-do-pt.html

Lanna Holder, o porco e a sodomia

Julio Severo

Em entrevista recente ao Gospel Prime, Lanna Holder, que se considera pastora lésbica, usou o exemplo dos pastores para defender sua opção sexual: se eles podem viver em divórcios e recasamentos, por que ela não pode viver no lesbianismo?

Só não vou tratar desse assunto porque meu artigo “A teologia da nudez” já disse tudo o que precisava ser dito sobre homossexuais e pastores divorciados e recasados: http://juliosevero.blogspot.com/2008/04/teologia-da-nudez.html

Vou tratar de outro assunto igualmente importante de Lanna Holder, que é “pastora”, não porque alguma denominação evangélica brasileira esteja ordenando gays e lésbicas, imitando decadentes igrejas americanas. Ela é “pastora” por decadência lésbica pessoal, sem o apoio de nenhuma denominação evangélica do Brasil. Claro que, no que depender do governo e da mídia, ela tem aprovação garantida para qualquer decadência lésbica, gay, bissexual, transexual e transgênera que quiser.


Lanna Holder e sua parceira lésbica: carne de porco é igual ao homossexualismo?

Na entrevista ao Gospel Prime, ela foi indagada sobre este versículo:

“Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é.” (Levítico 18:22 ACF)

A resposta dela: “No mesmo capitulo de Levítico que fala que é proibido um homem se deitar com outro homem… no mesmo contexto também fala que era abominável comer carne de porco”.

Ela colocou o porco diretamente no assunto! Barack Hussein Obama, durante sua primeira campanha eleitoral presidencial, fez discurso não muito diferente, citando Levítico e o homossexualismo.

Mas será que o pecado da homossexualidade está mesmo, no livro de Levítico, no contexto do porco? Vejamos:

“Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne, para descobrir a sua nudez. Eu sou o SENHOR. Não descobrirás a nudez de teu pai e de tua mãe: ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez. Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez de teu pai. A nudez da tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe, nascida em casa, ou fora de casa, a sua nudez não descobrirás. A nudez da filha do teu filho, ou da filha de tua filha, a sua nudez não descobrirás; porque é tua nudez. A nudez da filha da mulher de teu pai, gerada de teu pai (ela é tua irmã), a sua nudez não descobrirás. A nudez da irmã de teu pai não descobrirás; ela é parenta de teu pai. A nudez da irmã de tua mãe não descobrirás; pois ela é parenta de tua mãe. A nudez do irmão de teu pai não descobrirás; não te chegarás à sua mulher; ela é tua tia. A nudez de tua nora não descobrirás: ela é mulher de teu filho; não descobrirás a sua nudez. A nudez da mulher de teu irmão não descobrirás; é a nudez de teu irmão. A nudez de uma mulher e de sua filha não descobrirás; não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para descobrir a sua nudez; parentas são; maldade é. E não tomarás uma mulher juntamente com sua irmã, para fazê-la sua rival, descobrindo a sua nudez diante dela em sua vida. E não chegarás à mulher durante a separação da sua imundícia, para descobrir a sua nudez, Nem te deitarás com a mulher de teu próximo para cópula, para te contaminares com ela. E da tua descendência não darás nenhum para fazer passar pelo fogo perante Moloque; e não profanarás o nome de teu Deus. Eu sou o SENHOR. Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é; Nem te deitarás com um animal, para te contaminares com ele; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; confusão é.” (Levítico 18:6-23 ACF)

Não há nenhum porco aí. Aliás, ao contrário do que Lanna alegou, no capitulo 18 inteiro não há uma única menção a porco. No máximo, só há espírito de porco e muita, muita porcaria sexual. O contexto traz proibições de várias anormalidades sexuais, inclusive sexo com animais e sacrifício de bebês ao demônio Moloque.

Se a homossexualidade é normal, o que dizer então de todas as outras porcarias sexuais que estão nesse contexto? Deve-se legalizar tudo o que está ali junto com a homossexualidade? (Para mais informações sobre os casos de “nudez” mencionados nessa passagem de Levítico, consulte meu artigo “A teologia da nudez”.)

No livro de Levítico, há menção ao porco, porém não é no contexto da homossexualidade nem no capítulo 18, conforme insistiu Lanna. Mas talvez ela tenha introduzido o porco na discussão homossexual devido à semelhança de estilos de vida. E que nenhum ativista gay me acuse de nada desta vez, pois quem igualou o porco ao homossexualismo foi uma “pastora” lésbica.

Pois bem, se ela quer falar de porco e homossexualismo, vamos aos fatos bíblicos.

Realmente, no Levítico é proibido comer porco, mas essa condenação não é reforçada no Novo Testamento. O Apóstolo Paulo, sob inspiração divina, nunca disse: “Os que comem carne de porco não herdarão o Reino de Deus!”

Eu não como porco, por entender que a Bíblia ensina corretamente sobre alimentos. Mas não acho que quem come vai para o inferno espiritual. Aliás, nunca me esqueço de um médico, pastor de Brasília, que durante uma pregação disse: “Como médico, sei que a carne de porco não é saudável e que viverei menos anos se a comer. Mas EU GOSTO!” Assim, pela medicina, o porco pode condenar o comilão a um inferno de problemas físicos.

Diferente da carne de porco, a condenação à homossexualidade é reforçada no Novo Testamento em vários lugares, inclusive nesta passagem:

“Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes não terão parte no Reino de Deus. Alguns de vocês eram assim. Mas foram lavados do pecado, separados para pertencerem a Deus e aceitos por ele por meio do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus.” (1 Coríntios 6:9-11 BLH)

No tempo do apóstolo Paulo, não havia ativista gay ou gayzista ou homossexualista, como conhecemos hoje. Havia só os homens que cometiam atos homossexuais. Mesmo não sendo ativistas, Paulo mostrou que, enquanto não abandonassem as práticas homossexuais, as portas do Céu estavam fechadas para eles. Para eles e também para os idólatras, os adúlteros, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes.

Entretanto, as portas da igreja devem estar abertas para eles exatamente para que eles possam ouvir o Evangelho, se arrepender, abandonar seus pecados e obter entrada no Reino de Deus. Mas a nenhum deles é permitido entrada no ministério sacerdotal, pois é antibíblico um pastor ser idólatra, adúltero, homossexual, ladrão, avarento, bêbado, caluniador e assaltante.

Então, aparece a Lanna Holder e diz: “Mas eu não quero ficar na igreja só ouvindo o Evangelho. Conheço a Bíblia de capa a capa! Quero pregar! Quero o púlpito! Do contrário, saio da igreja e fundo minha própria igreja!” E foi o que ela fez: fundou sua própria igreja, pois ela não se reconhece como uma mulher pecadora que precisa de Jesus Cristo e sua libertação. Ela só se reconhece como “pastora”.

Lanna Holder sendo promovida pela revista Eclésia, sucessora da revista VINDE, de Caio Fábio
 
Apesar disso, na entrevista, ela declarou que não é ativista do movimento gay. Mas Levítico 18:22 não condena homens envolvidos em militância política e legal gay. Condena homens envolvidos em atos homossexuais. Assim, sejam ativistas ou não, a Bíblia deixa muito claro que os homossexuais, assim como outros pecadores que não se arrependem e abandonam seus pecados, não têm direito ao Reino de Deus.

Tente imaginar a nojeira que é um porco no lamaçal de seu chiqueiro, e você entenderá por que Deus considera o ato homossexual nojento. Aliás, ele o chama de “abominação”, que significa “repugnante” e “detestável”.

Houve tempo em que Lanna queria crer nisso, mas hoje ela confessa sobre seus sentimentos lésbicos: “Se era uma influência demoníaca, por que eu continuava sentindo os mesmos desejos? Percebi que a minha natureza e a minha orientação sexual continuavam sendo as mesmas”.

Um drogado, beberrão, assaltante e outros desviados, que permanecem a vida inteira com o pecado abrigado no coração, poderiam fazer o mesmo questionamento: “Se é uma influência demoníaca, por que eu continuo sentindo os mesmos desejos (drogas, pedofilia, bebedeiras, roubos, estupros, adultérios, etc.)? Percebo que minha natureza continua sendo a mesma”.

Viver com o porco na boca não leva ninguém ao inferno. Só leva a problemas de saúde. Mas levar o porco na alma traz problemas de saúde e leva o porco de alma ao inferno.

Porco de alma é o que escolhe conviver com a “abominação” na alma e no corpo.

Tal “abominação” contamina também a mente, de modo que seu portador faz da verdade exatamente o que o porco faz com qualquer coisa limpa e bonita que venha a parar debaixo de suas patas: “Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem.” (Mateus 7:6 ACF).

No caso de Lama Holder, ela tem jogado a Bíblia no lamaçal de seu chiqueiro teológico. Alegremente, ela pisa à vontade em qualquer passagem da Bíblia, distorcendo e reinterpretando do jeito lésbico que ela quer, e atacando como “fanático” qualquer cristão que discorde da interpretação de chiqueiro dela.

Ela diz que conheceu o Evangelho no passado, largou do lesbianismo e depois voltou. Mas ela não é a única. Ela representa inúmeros casos de pessoas que fazem a escolha pessoal de voltar.

“Essas pessoas são um exemplo deste ditado verdadeiro: ‘O cachorro volta ao seu próprio vômito’ e ‘A porca lavada volta a rolar na lama.’” (2 Pedro 2:22)

Essa porca lavada é porca de alma. Por mais que lhe lavem, a bicha prefere a lama! “Eu nasci assim! Eu nasci assim! Não consigo viver sem vômito e lama!” dirão algumas dessas criaturas.

Já vi muitos drogados irem ao Evangelho, e voltarem aos antigos hábitos. Já vi prostitutas, ladrões, beberrões e outros voltando aos seus vícios. E essas infelizes escolhas são confirmadas pelas palavras de Jesus, que disse que a maioria sempre escolhe a porta larga e o caminho espaçoso que conduz à perdição (cf. Mateus 7:13-14).

Claro que se você perguntar para Lanna Holder se ela abandonou o Evangelho, prontamente ela negará. O que as porcas de alma fazem é muito pior: trocam o Evangelho de Jesus Cristo pelo “evangelho” do vômito e da lama. E ainda por cima querem ser pastoras! Esse é o mesmo “evangelho” da decadência abraçado por grandes denominações evangélicas dos EUA.

No final das contas, foi ótimo a Lama ter enfiado o porco nessa estória toda. Nem mesmo eu nunca liguei o porco ao homossexualismo. Mas agora, com as palavras da “pastora” lésbica, tudo começou a fazer sentido. Sim, realmente tem tudo a ver! Estilos de vida idênticos.

Com relação ao número pequeno de pessoas que não volta aos antigos hábitos nem troca o Evangelho de Jesus Cristo pelo “evangelho” da decadência, Jesus diz: “Estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mateus 7:14 ACF)

Já vi os que aceitaram e permaneceram no Evangelho puro e simples, e não voltaram ao vômito e à lama. São realmente poucos.














 

A chocante diminuição dos cristãos nos Estados Unidos

Comentário de Julio Severo: Este artigo, escrito por um evangélico americano, poderá provocar reações de dúvidas em muitos leitores: “Mas os EUA não são a nação mais cristã do mundo? Os EUA não são o país mais evangélico do mundo?” Afirmativamente. Mas a igreja evangélica americana está em crise. Por exemplo, a maior denominação presbiteriana dos EUA (conhecida pela sigla PCUSA) está agora oficialmente ordenando pastores gays e lésbicas. A PCUSA é a mãe da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Revoltados com os rumos da PCUSA, presbiterianos representando 500 congregações, conforme relatou o Rev. Augustus Nicodemus em seu blog O Tempora! O Mores!, se reuniram para fundar uma denominação presbiteriana conservadora. 500 é um número grande, mas o total de congregações da PCUSA soma 11.000! Portanto, os dissidentes conservadores são menos de 5% desse total, deixando para a vasta maioria presbiteriana dos EUA os sinais inconfundíveis não de uma apostasia periférica, mas de uma apostasia de proporções colossais.

Com esse quadro apocalíptico diante dos nossos olhos, não é difícil entender no artigo abaixo quando o autor americano menciona evangélicos que falam com “mortos” e creem em reencarnação. Eis o artigo americano:

Nas décadas recentes, a percentagem de cristãos nos Estados Unidos está diminuindo sem parar, principalmente entre os jovens.

Os Estados Unidos foram fundados principalmente por cristãos que estavam buscando escapar de perseguição religiosa. Para esses primeiros colonizadores do que são hoje os Estados Unidos, a fé cristã era o próprio centro de suas vidas, e influenciou profundamente as leis que eles fizeram e as estruturas governamentais que eles estabeleceram.

No mundo inteiro, o Cristianismo é de longe a maior religião. De acordo com o Pew Forum on Religion & Public Life, há atualmente 2,2 bilhões de cristãos no mundo, de modo que tão cedo o Cristianismo não está em perigo de desaparecer. Aliás, em algumas regiões do globo o Cristianismo está experimentando crescimento explosivo.

Mas nos Estados Unidos, o quadro é diferente. As igrejas estão diminuindo, o ceticismo está aumentando e a apatia acerca de questões espirituais parece estar no apogeu de toda a história americana.

De acordo com Dave Olson, diretor de plantio de igrejas da Igreja Evangélica Covenant, somente 18,7% de todos os americanos frequentam regularmente uma igreja.

Mas o que está acontecendo com a fé dos jovens americanos é ainda mais alarmante.

Grande número de jovens americanos que iam a igreja enquanto estavam crescendo estão hoje abandonando as igrejas completamente. Um recente estudo do Grupo Barna descobriu que aproximadamente 60 por cento de todos os cristãos entre as idades de 15 e 29 anos não têm mais nenhum envolvimento com igrejas.

Esses jovens não só abandonaram a igreja, mas também abandonaram todas as formas de espiritualidade cristã.

Uma pesquisa do LifeWay Christian Resources entre jovens deu os seguintes resultados:

* 65% raramente ou nunca oram com outros e 38% quase nunca oram sozinhos.

* 65% raramente vão a reuniões de adoração.

* 67% não leem a Bíblia ou nenhum texto religioso regularmente.

Mas os jovens não estão rejeitando apenas a igreja.

A realidade é que eles estão também rejeitando os princípios fundamentais da fé cristã.

Uma pesquisa conduzida pelo Grupo Barna revelou que menos que 1 por cento de todos os americanos entre as idades de 18 e 23 têm uma cosmovisão cristã.

O Grupo Barna perguntou aos participantes da pesquisa se eles concordavam com as seguintes seis declarações:

1) Crer que existe uma verdade moral absoluta.

2) Crer que a Bíblia é completamente precisa em todos os princípios que ensina.

3) Crer que Satanás é considerado um ser ou força real, não meramente simbólica.

4) Crer que não dá para uma pessoa ir ao Céu tentando ser boa ou fazendo boas obras.

5) Crer que Jesus Cristo viveu uma vida sem pecado na terra.

6) Crer que Deus é o Criador onisciente e onipotente do mundo e que Ele governa o universo hoje.

Menos de 1 por cento dos participantes concordou com todas essas declarações.

Isso é simplesmente assombroso.

Mas não são apenas os jovens que estão rejeitando os princípios fundamentais da fé cristã.

Números ainda maiores de “evangélicos” estão rejeitando esses princípios.

Uma pesquisa revelou que 52 por cento de todos os evangélicos americanos acreditam que “pelo menos algumas religiões não-cristãs podem levar à vida eterna”.

Outra pesquisa revelou que 29 por cento de todos os evangélicos americanos afirmam que já tiveram contatos com os mortos, 23 por cento acreditam em astrologia e 22 por cento creem em reencarnação.

Sem dúvida, o panorama religioso dos Estados Unidos está mudando.

Nas recentes décadas, a frequência à igreja vem diminuindo sem parar, a percentagem de americanos que se consideram cristãos está caindo e o número de pessoas que têm convicções cristãs conservadoras está despencando.

O que tudo isso significará para o futuro dos Estados Unidos?

Tradução e adaptação: www.juliosevero.com





















Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Rabinos pedem a evangélicos que restaurem os valores americanos

“Nação nenhuma sobreviveu depois que se corrompeu moralmente”


Bob Unruh

Os eleitores da Carolina do Sul, incluindo um grande número de cristãos evangélicos e católicos, estão na mira das campanhas políticas do Partido Republicano, que buscam definir quem irá enfrentar o democrata Barack Obama em novembro.

Eles agora estão sendo convidados por centenas de rabinos ortodoxos a refletir sobre a sua decisão de “votar moralmente”, em oposição ao foco predominante da política e da economia.

“Nenhuma nação, nenhum império sobreviveu historicamente após um certo estágio em que se tornou moralmente corrompido”, disse Yehuda Levin, um rabino e porta-voz da Aliança Rabínica da América.

O pedido vem dos membros da organização, e não da organização em si.

Levin destaca que sua organização não endossa oficialmente um candidato político, mas alerta os eleitores da Carolina do Sul a pensarem no futuro da nação.

“De qualquer ponto de vista, o Governdor [Mitt] Romney não é socialmente conservador de forma alguma. Ele não é biblicamente conservador. Não acredito que suas posições estejam de acordo com a sua fé mórmon", afirma.

“Portanto, nosso país enfrenta uma situação horrível, em que continuamos sendo arrastados em direção à decadência de Gomorra".

Ele diz ainda que uma perda da moralidade dará sequência a prejuízos econômicos, culturais e religiosos.

“Fazemos um apelo aos evangélicos e católicos para que definam a moralidade e a decência como uma questão primordial, mais importante até do que o dinheiro".

“Pedimos encarecidamente que espalhem essa mensagem. Escolham um candidato que viveu uma vida pró-família”.

Levin também divulgou sua mensagem em vídeo:


“Lembremo-nos da história de Jonas e Nívine. O profeta alertou que Deus havia anunciado a destruição da cidade em quarenta dias”, disse Levin em um discurso preparado. “O destino dos EUA provavelmente será determinado nas primárias presidenciais da Carolina do Sul em 21 de janeiro. Quem os eleitores escolherem provavelmente será o candidato republicano à presidência, o homem encarregado de derrotar o Presidente Obama e a queda livre moral e econômica incentivada por ele e sua equipe".

Ele afirma ainda que “a principal preocupação de Romney é dinheiro e poder”.

“Em um recente debate presidencial republicano na TV, o gov. Romney, um perigoso homossexualista, vangloriou-se de que iria continuar a favorecer os mais baixos elementos da sociedade americana em muitas áreas, incluindo a nomeação da Suprema Corte”, afirma Levin.

“Outro candidato no debate adotou uma posição oposta. Ele comentou o assassinato de crianças indefesas, confrontou abertamente a defesa da imoralidade promovida pela mídia, etc., e apontou claramente a ligação entre o sucesso financeiro e militar dos EUA e o seu comprometimento histórico com os princípios bíblicos de jurisprudência e moralidade”, afirma.

“Se os EUA quiserem reconquistar a graça de Deus e reconstruir a nossa economia arruinada, é crucial que a Carolina do Sul rejeite ativamente o histórico e as aspirações futuras do gov. Romney. Escolham o homem certo. Escolham quem viveu e compartilha nossos valores bíblicos, um homem moral, de posições firmes morais, e que assim trará as bênçãos de Deus, mais uma vez, à nossa sociedade”.

Ele acrescenta: “O capitalismo não pode salvar os Estados Unidos. Resgate financeiro algum pode salvar um país falido moralmente; isso é o que aprendemos do declínio e da queda dos grandes impérios da história”.

O grupo, de cerca de 850 rabinos ortodoxos dos EUA e Canadá, que atendem cerca de 500.000 judeus praticantes, havia declarado anteriormente que estava “compelido” a “condenar o apoio e a promoção por parte de Mitt Romney da imoralidade do estilo de vida e da agenda homossexual”.

O WND procurou a comissão de campanha de Romney para comentar sobre o assunto, mas não obteve resposta.

A declaração anterior era resultado de uma assembleia especial dos rabinos:


O WND noticiou no mês passado sobre a “Declaration on the Torah Approach to Homossexuality” assinada por dezenas de rabinos, líderes comunitários e profissionais de saúde mental.

Ela afirma que a atração pelo mesmo sexo pode ser modificada e “curada”, e condena o "bombardeio propagandístico” que foi lançado “para persuadir o público sobre a legitimidade do homossexualismo”.

“Predominam na mídia as rotulações negativas que sugerem que quem não aceita o estilo de vida homossexual como legítimo o faz por ‘ódio’ ou porque é ‘homofóbico’. Essa coerção política silenciou muitos à condescendência. Infelizmente, essa atitude permeou a comunidade judaica, e muitos ficaram confusos ou aceitaram a postura da mídia sobre esse assunto”, afirma o documento.

“A Torá declara explicitamente que o homossexualismo não é um estilo de vida aceitável ou uma identidade genuína, e proíbe severamente a conduta. Além disso, a Torá, sempre visionária sobre as influências seculares negativas, nos alerta em Vaicrá (Levítico) 20:23: ‘E não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós...’ Principalmente se a Torá menciona o homossexualismo e outras práticas sexuais proibidas”, afirma a declaração.

A declaração feita hoje pelos rabinos citou um novo livro de Amy Contrada intitulado “Mitt Romney’s Deception” (As Mentiras de Mitt Romney). O livro documenta as promessas de carreira de Romney de avançar a agenda homossexual e emitir proclamações que celebram o orgulho homossexual jovem.

A culpa de Obama



Ela é Janet Boynes, do Janet Boynes Ministries, que afirma logo de cara que o seu objetivo é “ministrar a pessoas que questionam a própria sexualidade ou que queiram deixar o homossexualismo”. “O JBM busca informar e desafiar as igrejas e a sociedade sobre as questões acerca do homossexualismo e ensinar como ministrar à comunidade homossexual”.

Boynes disse ao WND que muitos “secularistas jovens e ingênuos” estão ocupados seguindo a liderança de Obama em sua agenda sexualmente permissiva, cujo resultado será “o fim dos valores e das famílias tradicionais”. A agenda de Obama também “propaga o ataque às crenças judaico-cristãs em escala global”.

Mas enquanto vários outros ministros criticam a determinação pró-homossexualismo de Obama, este colocou mais homossexuais em posições de poder do que qualquer outro presidente, abriu as forças armadas para o homossexualismo declarado, e promulgou um plano de “crimes de ódio” que garante proteção especial aos homossexuais. Boynes vai além.

“A Bíblia diz que o ladrão vem senão para roubar, matar e destruir (João 10:10)”, afirma. “O seu principal objetivo é trazer confusão e causar divisões dentro da igreja, e ele o faz alterando a verdade de Deus de uma maneira que muitos cristãos acabam sendo enganados se não estiverem firmados e fundamentados na palavra de Deus”.

O WND recentemente noticiou que a política da administração Obama é a nova polícia sexual, e que recentemente foi emitido um decreto presidencial que alguns dizem ter como objetivo certo criar “cotas” para LGBTs nas contratações do governo federal.

O WND também noticiou a pressão de várias autoridades administrativas para normalizar o comportamento LGBT, incluindo a designação de “identidade de gênero” como um status protegido pelos cargos federais.

O articulista Matt Barber do WND escreveu que os esquerdistas estão “desesperados” nos seus esforços para “desencavar alguma racionalização natural e biológica, para a qual a ciência não encontrou nenhuma, para validar um comportamento comprovadamente não natural”.

“É por isso que estamos vendo um ódio tão visceral da esquerda à comunidade ex-gay”. Do ponto de vista político e legal, é estrategicamente crucial que esses esquerdistas solapem e marginalizem a experiência real de incontáveis milhares de ex-homossexuais”, afirma Barber. “Essa malevolência representa uma profunda falta de respeito pelo ‘direito de escolha’ das pessoas”. A mentira favorita é a seguinte: ‘O gay dentro de você não vai sair com reza’. Uma vez que você se identifica, ou é rotulado, como ‘gay’, não há mais saída.

“Ironicamente, esses mesmos liberais sugerem cinicamente que algo realmente inato como o sexo biológico pode ser mudado. Se você é um homem hoje, mas se sente como uma mulher, basta alguns cortezinhos e voilá! Você se torna mulher”, afirma Barber.

Traduzido por: Luis Gustavo Gentil


Fonte em português: www.juliosevero.com













Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

A Convenção Batista Brasileira comete a mesma besteira da "seita neo-pentecostal Igreja Renascer em Cristo"

Piragine e a carta de agradecimento da ministra da Dilma


Julio Severo

O Pr. Paschoal Piragine está galgando as alturas de sua denominação. Ele é hoje o presidente da poderosa Convenção Batista Brasileira. Ele chegou a essa posição merecidamente: Ele ficou famoso por causa de um vídeo de YouTube, em que ele denunciou a obsessão gayzista e abortista do PT durante as eleições de 2010.

Por causa desse vídeo, o pastor batista sofreu ameaças, que foram denunciadas no meu blog. Como matilha de lobos loucos, pastores batistas progressistas atacaram ferozmente Piragine, e novamente meu blog o defendeu.

Minha ajuda para defender o pastor atacado ultrapassou as fronteiras do Brasil. A pedido meu, LifeSiteNews, o maior portal-pró-vida de língua inglesa, publicou dois artigos denunciando os ataques ao pastor, que ficou conhecido internacionalmente. Os artigos, traduzidos por mim depois para o português, são:



Essa repercussão internacional gerou um apoio muito importante para o pastor ameaçado, produzindo a simpatia necessária para sua eleição à presidência da Convenção Batista Brasileira.

Mas eis que Piragine convida para a 92ª Convenção Batista Brasileira (de 20 a 22 de janeiro) a petista Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República.

Não me oponho, de forma alguma, a convidar Dilma e seus ministros para um culto a fim de ouvirem o Evangelho e receberem oração. Temos a obrigação cristã de fazer tais convites.

Entretanto, convidar um importante representante do governo para uma reunião de pastores é uma demonstração no mínimo de adulação. E esse governo, que foi corretamente denunciado por Piragine, está caminhando de modo determinado para a “institucionalização da iniquidade”, termo empregado pelo próprio Piragine.

 
A Igreja Renascer em Cristo já cometeu aberração semelhante, trazendo Marta Suplicy para uma reunião de pastores.

Afagar Acabe, Jezabel e seus ministros não é chamado da igreja. O chamado da igreja é pregar o Evangelho, nas reuniões apropriadas. Reuniões de líderes não deveriam jamais estar abertas aos ímpios. Reuniões de pastores são somente para pastores.

Além do chamado de pregar, alguns líderes têm o chamado profético de denunciar os pecados da liderança da nação. Tal denúncia foi feita de forma tremenda pelo vídeo de Piragine.

Se ele convidou a ministra petista Gleisi Hoffmann apenas para, a semelhança de João Batista, repreender as políticas pró-aborto e pró-homossexualismo do PT na cara dela e diante de todos os pastores, então quero expressar publicamente meus cumprimentos ao Pr. Paschoal Piragine, por seguir os rastros de ousadia profética de Elias — um chamado que muito poucos líderes cristãos têm a coragem de seguir.









Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

Escorregadinhas evangélicas?

Revista da Assembleia de Deus diz que Jônatas e Davi eram amantes


Julio Severo

Uma mulher, membro da Assembleia de Deus em Campo Grande, no Rio de Janeiro, estava fazendo umas “Cruzadinhas Evangélicas” da revista “Palavras Cristãs” quando, olhando na página 6, ela viu a pista para encontrar a palavra-chave: “Jônatas, com relação a Davi, conforme o livro de 1 Samuel, capítulo 18”.

Por incrível que pareça, a palavra-chave que coube no espaço foi “amante”.

Nessa altura, a mulher precisou esfregar os olhos e se beliscar. Mas quando ela foi conferir a resposta na página 29, ela ficou estarrecida. A resposta certa era realmente “amante”!

A revista é publicada pela Assembleia de Deus em Campo Grande, no Rio de Janeiro, igreja dirigida pelo Pr. Daniel Malafaia, parente do Pr. Silas Malafaia.

Será que a influência gay e midiática chegou a um ponto catastrófico nas igrejas evangélicas?

Peço aos leitores do meu blog que enviem ao Pr. Daniel Malafaia uma cópia das excelentes pregações do Pr. Silas Malafaia contra as mentiras da agenda gay. Aliás, mandem uma cópia para toda a liderança dessa igreja, pois se Jônatas e Davi eram homossexuais por serem muito amigos, então o que dizer de nós, homens cristãos, que somos apaixonados por Jesus Cristo?





Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

VOCÊ GANHOU!